Monumento Pré-Histórico da Praia das Maçãs – Parte I

Vista parcial da câmara principal do monumento pré-histórico da Praia das Maçãs, observando-se a galeria de passagem para a câmara ocidental, em segundo plano. Fotografia de 1961.

Este importantíssimo monumento sepulcral, foi descoberto em 1927 nos terrenos de Henrique Miguel dos Santos, quando fazia uma surriba no Outeiro das Mós, a 500 metros da praia atlântica. Nessa ocasião foi recolhido algum espólio jazente, tais como fragmentos cerâmicos, pontas de seta, conchas de marinhas, fragmentos ósseos humanos e de animais. 

Escavado em rocha pelos nossos antepassados durante o calcolítico, há cerca de cinco mil anos como estação funerária, era composto por uma câmara escavada na rocha; um pequeno corredor revestido por muro de pedra; uma câmara de falsa cúpula, em forma circular e com cinco metros de diâmetro; um novo corredor de acesso ao exterior, com três metros de comprimento; um átrio com dois metros de largura.

Este notável e antiquíssimo monumento megalítico e funerário foi alvo de algumas campanhas arqueológicas, a primeira das quais decorreu em 1961. Apesar de ter sido declarado monumento nacional em Dezembro de 1974, o monumento megalítico encontra-se em estado de decadência e (quase) abandono, completamente coberto de areia, canaviais, outra vegetação e lixo. Pelo menos assim estava quando visitei o conjunto arqueológico em 2017.

Por: Jofre Alves