Para uma boa gestão financeira envolva todos os elementos do agregado familiar. As crianças e jovens devem estar familiarizadas com a literacia financeira.

Se para os graúdos já é difícil gerir o próprio dinheiro quanto mais para os miúdos, mas como o provérbio “é de pequenino que se torce o pepino”. É deveras importante envolver os mais pequenos na gestão financeira familiar. 

As crianças devem ser incentivadas a saber gerir o seu próprio dinheiro, para que futuramente adotem decisões mais conscientes e responsáveis, avaliando possíveis situações de risco.

Os mais novos já têm os seus gastos, com por exemplo a compra das refeições ou brinquedos, precisam ter a noção real sobre de onde vem o dinheiro e de como é difícil ganhá-lo.

Podem os pais começar por explicar que para ter água, luz e comida em casa é necessário gastar dinheiro, apercebendo-se que em família há receitas e despesas. Consequentemente, adotam comportamentos e pensamentos que podem gastar o dinheiro de forma abundante e não sentem necessidade de poupar. 

A importância de falar sobre a literacia financeira com as crianças e jovens é reconhecida pela DECO há muito tempo, procurando-se sempre, e sobretudo agora em virtude das grandes dificuldades financeiras que as famílias portuguesas enfrentam em consequência da pandemia, que no meio educativo e familiar se debata este assunto.

Assim a DECO apresenta no seu programa de educação DECOJovem alguns conselhos para utilizar junto dos seus educandos:

  • É importante facultar à criança ou jovem, uma semanada ou mesada, indicando-lhe que não haverá mais dinheiro durante esse período, caso opte por gastar tudo de uma vez. 
  • Incentivo-o a poupar, indicando-lhe como podem criar e gerir o seu dinheiro através da utilização da ferramenta Orçamento (Receitas/semanada + despesas= saldo). 
  • Procure salientar a importância de ter objetivos para atingir a poupança. 
  • Esclareça com a criança a distinção entre desejos e necessidades, tendo presente que para ganhar é preciso trabalhar. 
  • Fale da necessidade de ter três cestos de poupança com os seus filhos, um para as emergências, outro para os sonhos/desejos e um para o futuro.
  • Partilhe gestos simples que podem adotar no quotidiano de forma a economizar e diminuir o valor das despesas mensais.

Incentivar os mais novos a gerir o seu dinheiro promove atitudes mais conscientes e responsáveis.